terça-feira, 30 de maio de 2017

Inegável

Te acordei  setembro, perfumes  e flores,
À desenhar  teu  caminho, cheio de cores;
E se bem me lembro, dentre teus amores,
Houveram risos, também inspiradas dores.

E a primavera  de tua vida, fez-se colorida,
No tempo passando em espera adormecida;
Sorvendo a cada dia, o  amargor da dúvida,
Ao contabilizar  a realidade  daquela dívida.

A estação adiantada, adiantou  os ponteiros,
E fez daquele último pensamento, o primeiro;
Sem atormentar, nem  atordoar, o dia inteiro,
E assim, amor inegável, se faz tão verdadeiro.

Meri Viero