domingo, 7 de maio de 2017

Espera

Era a espera, pela palavra sincera, eu era...
Eu fui, teu verão, sol, flores e primavera
Eu sou o silêncio na tua voz, feito fera
Atacando, ferindo em mata, casa e tapera

Pudera ser agora, na terra girando, globo, esfera
Letras em caixa alta, em caneta de tinta amarela
Nomeando amores, flores numa nova aquarela
Tela, namoradeira, tem flor no cabelo dela

Cachos acastanhados, verde materializado, sela
A vida num tom mais calmo, quando amor supera
A dor; presença de perfume santo, um dia fui, era
Agora sou, espera, pintura de tuas mãos, noite, vela.

Meri Viero