terça-feira, 11 de abril de 2017

Vazio...

Repleto de tantas palavras
Que se perdem
Esperando serem encontradas
Quentes feito lavas
Não medem
Cada letra calada
E o teor dessa lavra
Em aquarelas não ferem
Cada poesia observada
E o coração escava
Sentimentos que cedem
Cada frase pranteada
Vazio
Enquanto olhar serenava
E em inspirações se desprendem
Olhando ao léu; o nada...
Um frio na voz, no olhar um rio.

Meri Viero