quarta-feira, 5 de abril de 2017

Sonolência

Pronto, corre com o tempo, que te conto
Que a chuva, é música no telhado
E Guarapuava, é misto de poças e pés molhados
Curando a embriagues de mais um ser tonto

Pronto, é só começar que as palavras viciam
Se é bom ou ruim, nem sempre sei, só sei voar
Mas garanto que por vezes, calam e judiam
Essa alma, que ainda se atreve em versar

Pronto, agora o sono toma conta
Vem fechando o verde da íris, e acredite
Cada letra é um pedacinho que apronta
Cura as dores d'alma, cura até a artrite.

Meri Viero