segunda-feira, 3 de abril de 2017

Reinvenção

O fado vive aprontando, tira a leveza
E até a música, é triste, com certeza
Esconde sorriso, devolve impropérios
Mas há a poesia e seus mistérios...

Doçura de mel, no café da manhã chuvosa
Arco-íris entre uma nuvem e outra ruidosa
Cores reinventando o desenho borrado
Iluminando o que parecia aniquilado

Sopra um vento bom, leva a tempestade
Cria outro som, harmoniza a vida apressada
Silencia verbos atropelados, sem verdade
E conjuga o amor, em frases abençoadas.

Meri Viero