quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

VOAR

Que saiba o amor cantar, mesmo entre dores
Não perca essa  fé tamanha, que  me faz voar
Pelos canteiros  mais belos, de diversas cores
Pois me fazem lembrar, que é preciso se doar

Mesmo com  mundo ruindo, ruim de caminhar
E as pedras, parecem voltar,  ao mesmo lugar
Cantiga antiga no presente que faz incomodar
Essa rima previsível na visível forma de poetar

Fico mais lá, do que cá, mais cá do que lá, há?
Um modo, jeito, de esquecer, parar de gostar?
Vou voar, versar pra dissipar as imagens de ti
Vou amar, sobreviver, sorrir, ainda não desisti...

Meri Viero