quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

OLHOS TRISTES

O coração chorou todos os espinhos
Das rosas que nunca chegaram
E essas dores que latejaram
Jamais nos deixaram sozinhos

E os olhos tristes são pedras foscas
Distorcendo as antigas imagens
O abraço terno, moldura em paisagens
Hoje lembranças deixadas às moscas

Versos empoeirados em páginas amarelas
O amor ainda resiste; ainda que o esfarelem
Como traças carcomendo; ao relerem...
Cada linha das tantas aquarelas.

Meri Viero