sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

NESSE MOMENTO...

Será que os olhos já adormeceram estrelas
E os sonhos se fizeram em belas aquarelas
Multicores de uma alma transparente, bela
Que voa calma e alto, além daquela janela

Será que já se despiu das velhas reflexões
E agora, adormece aliviado, nu de aflições
E a chuva que aqui cai, cai lá, divinos trovões
Notas de um pranto, abençoando inspirações

Será que se revira por entre as cobertas quentes
Pelo inverno que não passa, primavera displicente
Ou será, que dorme, não sonha esse anjo inocente
Em ver da terra, brotar a vida, gerada pela semente.

Meri Viero