quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

LAÇOS ETERNOS

Aumento o som e adentro nesse ritmo
Calmo de todas as dores do mundo
Que agora só quer da paz, um segundo
E esquecer dos escombros, os últimos

Voltar para casa, para o invólucro santo
Presente sagrado, tão bem guardado
Que importa se há silêncio em cada canto
Não há mais pranto a ser derramado

A chuva, noite passada, chorou por nós
Apagou o pó da casa adormecida em pensares
E apesar dos pesares, dos cortes, e dos nós
Laços sempre nos prenderão, fios soltos aos pares.

Meri Viero