quinta-feira, 17 de novembro de 2016

UM DIA...

Vou ouvir da boca do poeta, a poesia
Recitada, tão cheia de graça e harmonia
Forte ventania, e as folhas varrendo
Misturando letras, que fui escrevendo

Um dia, hora qualquer, no mês que não sei
A voz será ouvida, vinda do coração
E de olhar marejado, lerás, embargado
A tua ou a minha inspiração, sonhei...

Esses sonhos tão bons, que trazem sorrisos
Que nos pegam no colo, enchem de carinho
E pela casa, ecoam-se, soltos, tantos risos
Um dia, aqui, lá, terra, céu, e a voz de anjinho.

Meri Viero