terça-feira, 8 de novembro de 2016

JARDIM SOLITÁRIO

E a alma teimosa procura, procura
E acha o que não devia achar
Será possível uma cura,
Para o amor deixar de amar?

Sem flor, sem rosa, sem beija-flor
Jardim solitário e ainda assim há amor
Leva colibri em tuas asas essa dor
Que dilacera, faz sangrar em dissabor

Cada palavra que o vento leva
Não traz quem o olhar guardou tão bem
E o bem que faz, é falta que não se releva
Mesmo quando voa, não pousa, não vem.

Meri Viero