segunda-feira, 28 de novembro de 2016

ESPERANÇA

E o coração se revestiu de saudade
Se pintou de poesia e saiu por aí
Na espera silenciosa, realidade
Foi certa, passos certos, logo ali

E nessa proximidade de mundos
A poesia teletransporta corações
Almas que se conectam num segundo
Quando sintonizadas em inspirações

E a saudade tem nome e cidade
Tem céu, poema de felicidade
Tem da vida toda a verdade
Tem no olhar o verde que nos invade.

Meri Viero