sábado, 8 de outubro de 2016

SEM VOCÊ...

Inspiração foge, se transforma em borrões
Amontoado de páginas sem conclusões
Palavras entrecortadas, frases desfeitas
Aquarelas borradas, pintura mal feita

Nem a teimosia tão presente, adianta
As horas não passam, nada encanta
Nem os pássaros, borboletas, flores
Transparentes não diminuem as dores

Voo, que deveria ser mágico, se quebra
Viram horas que se arrastam, e a régua
Não mede essa saudade que enfebra
E coração adoece, sem nenhuma trégua.

Meri Viero