sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Quando amanhecer...

E a vida é da cor da esperança, verde
Camuflando água e terra, misturando
Elementos, os seres, matando a sede
De quem, por ali, ia então, passando

E madrugada fria é poesia que inspira
Aqui, ou em algum outro lugar, restos
De réstias de um dia de pouco sol, gira
O mundo, e o pensamento, empresto...

Pra quando acordar; amanhecer coração
E mudar esse pulsante, com outra cor
De verde, das folhas, dessa inspiração
E pincelar mais um pouquinho de amor...

Meri Viero