terça-feira, 11 de outubro de 2016

CHUVA DE TERÇA-FEIRA

Depois do vento, a chuva apagando o pó,
A Terra seca sendo banhada com carinho;
Molhando pássaros, flores, e tudo sem dó,
E até mesmo, no alto da árvore, um ninho.

Ah! Eis Criador perfeito, tudo a seu tempo,
Das sementes germinadas, a colheita farta;
Embaraçar das nuvens regidas pelo vento,
À chuva, chegando em hora, sempre exata.

Mais um dia, agora cinza, ainda assim, belo,
Tudo tão certo, molhando a terra aqui, e aí?
Chove chuva criadeira, chuva na terça-feira,
Trazendo poesia faceira, para mim e para ti.

Meri Viero