terça-feira, 11 de outubro de 2016

CAMINHOS


Tão perto e tão distante, quilometragem
Marcando o caminho, de pedras e flores
Paisagens belas de uma a outra margem
Vai ofertando, ao olhar, brilho e mil cores

Tonalidades intensas, bagagem pequena
Cabe lembranças boas, e o futuro incerto
Cabe o linguajar poético, e poesia serena
Cabe esse querer discreto de querer perto

O bem, de alguém, que se tem, e não vem...
Olha como por janela embaçada, e cansada
Olha como quem nada vê, alma aprisionada
Olha e deixa para trás curvas dessa estrada.

Meri Viero