domingo, 14 de agosto de 2016

NÃO QUERO...

Saber da noite os mistérios
Nem sair do sério 
Por pouca coisa, quero
Teu riso fácil, espero...

A luz da manhã
Iluminar teu quarto
Tua boca de hortelã
Que tanto me farto

Não quero jogo de luzes
Dessa vida a via crúcis
Jogo de versos
Tropeços inversos

De verbos mais fáceis
Quero as belas nuances
Para que se canse
Dos novos disfarces

Face a face
Página a página
Passe, trace
Poesia e mágica.

Meri Viero