segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Aos quatro cantos...

Encanta com teu canto, encanto mas não canto,
É canto da sala, e do pássaro o mais belo, canto;
Canta notas musicais tão belas, parece o pranto,
Que do coração não sai, um choro que dói tanto...

Um lamento tão triste, quase profano e até santo,
Vai levando, o sopro de alma, murmúrio, espanto;
Tudo junto, de mais, de menos, mais uns quantos,
Seres sem asas, e que voam além, desse recanto...

É mel, adoçando boca, amarga de  um desencanto,
É sonho, trazendo a esperança, recobrindo o manto;
É vida, ofertando um céu de poesia, e por enquanto...
Fico cá, te  chamando lá, da terra aos quatro cantos.

Meri Viero