terça-feira, 19 de julho de 2016

A VIDA...

Acordou faz tempo, já tomou banho e café
Agradeceu mais um dia, demonstrou sua fé
Fechou a porta, deixou alguns pensamentos
E levou outros consigo, lentos  sentimentos

Entrou no abrigo metálico, pés de borracha
Rodando devagar, e no espelho sem graxa
Tudo se  distanciando, pessoas  e  animais
Não viu geada, apenas  queimaduras reais

O gelo deixando rastros perigosos no campo
Interiorizou, voltou olhar ao Criador, ao Santo
Entregou mais um dia de trabalho, suor sagrado
Pois enquanto há vida, há campo, também arado.


Meri Viero