segunda-feira, 25 de abril de 2016

SENSIBILIDADE POÉTICA

Ah! Que seria dessa vida sem a poesia...
Seriam pedras e tempestades, nada mais,
Os pés grudados no chão, alma não voaria;
Lua e  Sol, astronomia, e  símbolos astrais.

E o poema, não lhes cobriria de tanta beleza,
As estações, seriam apenas fases climáticas;
Momentos ruins, bons, marcas  e  asperezas,
Nada de poética, métrica, estética, e estática...

Seguiria a alma, o coração seria pedra bruta,
Mas a pena que poeta empunha, é uma luta;
Por uma humanização, pois se o ser endurece,
Sobrevive, mas  sem a  sensibilidade, padece.

Meri Viero