quarta-feira, 6 de abril de 2016

HOJE...

Falei mais que devia, escrevi mais que podia...
Começo a envelhecer, as mãos enrijecem
E o verso se perde dentro da poesia
Os olhos vermelhos, agora escurecem

E ainda é dia, hoje, me encontrei nas horas
Sentindo saudade, ouvindo histórias
Frascos variáveis de antigas memórias
Perco-me, entre o ontem e o agora

Sou resto de mim, resto de ti, sobre a mesa...
Migalhas que os pássaros vieram buscar
Para os seus filhotes poderem alimentar
Restando palavras e poemas de sobremesa.

Meri Viero