quinta-feira, 14 de abril de 2016

ALEGRES CANTORES

A tarde caiu, e mais uma vez voltaram
Fazendo algazarra os alegres cantores
Tanto para  contar, de  manhã voaram
E em outros galhos, asas descansaram

Não há coração triste nessa hora feliz
E voa-se nas asas das criaturas aladas
Um voo, em que a cada tarde, pede bis
Alma livre, poética, e  tão  apaixonada

Lembra daquele pão, quentinho ou não
Que alegra o olhar quando chega aqui
E saudade e tristeza deixam o coração
E o amor, ah! o amor, pousa logo ali...

Então não vou chorar, deixo a chuva cair
E molhar tuas asas, e te trazer para casa
Então nascerá o poema, de teu  belo fluir
Enquanto essas mãos, tocarão  tuas asas.

Meri Viero