segunda-feira, 21 de março de 2016

SUAVIZE

Pulsa o pulso dolorido
E as mãos não ajudam
Complô e coração ferido
Alma e pensar não descuidam

E fica tudo distante desse lugar
Um hibernar antes da hora
Mas as asas querem voar
Presas nesse casulo, agora

Suavizar, acalmar, respirar
Versar quase nada, e viver
Entre dores e flores, mirar
A esperança formosa para valer.

Meri Viero