quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Sonhos de papel












Papel de carta e  desenhos do coração,
Sonhos de um duo em grafitado papel;
Anjo emprestando asas  para  as mãos,
Que rabiscam sentimentos  de aluguel.

O pensamento é andarilho nas ondas,
Pintando ladrilhos, mosaicos siderais;
Estrelas cadentes, cadências ancestrais,
Brilham mesmo que o olhar esconda...

Lágrima que caiu, se misturou a chuva,
E ninguém viu, água morna manchando;
As linhas, as letras, e as palavras turvas,
Sonhos de papel, avião no céu planando.

Meri Viero