segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

PAREI DE CONTAR...

São tantas folhas que me fizeram chorar
Ou simplesmente esquecer, e até  rasgar
Estão e estiveram ali, sempre  presentes
Tudo tão igual, etc e tal e tão diferente...

Parei de contar quando excederam a mil
Emoções bordei e bordo com muitos fios
Sorrisos que ofertei e oferto com carinho
Inspiração que acompanha bem pertinho

Esse meu coração atrapalhado, e cansado
Desistiu de contar, folhas novas  e velhas
Poemas desfigurados outros emoldurados
Vertido entre o clarear pouco de uma vela.

Meri Viero