segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

PROPOSTA...

Nada indecente, dueta comigo, numa manhã qualquer,
Mistura, na semana ou no mês de dois mil e dezesseis;
Que mãos lá ou cá, versam  para  quem quiser ver, ler,
Horas apressadas moldam, pode ser às cinco, ou à seis.

O tempo é complemento, um tanto de verso, outro sentir,
Que as palavras alinham, seguem, e voam  por aqui, aí;
Um querer  sem  poder, simétricas  ou não, e sem fingir,
Nos dez por  cento mentira, em restos  de verdade recaí.

Versei por  querer, dueto  contigo, numa tarde qualquer,
De um  janeiro novinho, que sempre é antigo, proposta;
Nada indecorosa, e  fio cor-de-rosa borda o nosso viver,
Sou feita de prosa, conversa sem graça, ando indisposta.

Meri Viero