terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A CURA...

Pode estar no vazio do pensamento
No  afastamento, e  distanciamento
Que importa dor no  peito, lamento
Eis o preço, e doce é esse tormento

Talvez esteja na ausência marcante
Na indiferença cortante, alucinante
Na lágrima que verte  tão constante
Ou no sorriso congelado na estante

Deve estar nesse silêncio indiferente
Verbo presente desafiante, eloquente
E a tristeza cola nesse peito da gente
E incerteza é vida  pulsando urgente

Pode estar no verso belo, feito canto
No lado  escuro  da Lua, um  espanto
No caminho perfeito parecendo santo
Ou na saudade que invade e dói tanto.

Meri Viero