domingo, 22 de novembro de 2015

TÃO LINDA CONSTELAÇÃO















Linda e doce constelação, a mesma jornada,
Te inspira, respira e ainda sorri, nada cansada;
Balança que pesa valores, alma justa e amada,
Não pede nada, no mais, é paz nessa estrada...

É o doce do mel, adoçando tuas mãos, coração,
É a poesia vertendo do chão, inspiração e razão;
É a vida pedindo passagem, simples acomodação,
É o sonho da gente, virando semente na estação.

Jogada na terra, esparrama cores, flores, calmaria,
Aliviando vem em doses, pois amor, não passaria,
Ave, sem César, sem Maria, na palavra que voaria,
Verteria das mãos, na estrela que sempre brilharia...

Meri Viero