terça-feira, 20 de outubro de 2015

MANTO NOTURNO

O manto da noite vem chegando devagar,
Ouve a trilha sonora de um sabiá cantante;
Abraça a todos, como se  fosse acarinhar,
Os seres cansados, os tantos caminhantes.

Barulhos noturnos começam a intensificar,
Emprestando inspiração, e palavras certas;
Poetadas por mãos calejadas prestes à voar,
Entre certezas e incertezas, poesia disserta.

Com faces, imagens, e história de um lugar,
Sonho transparente, de vozes, e em cores;
Na mistura de ilusão e vida, poesia convida:
Oferta versos, flores, e o mundo faz perfumar.

Meri Viero