segunda-feira, 17 de agosto de 2015

OLHAR ATENTO




No jardim um belo amor-perfeito
No peito um coração em pedaços
Por causa de um amor desfeito
Feito espelho em muitos cacos


No livro  o olhar  do  leitor atento
No alento  que lhe  sopra  o vento
Por baixo das crespas madeixas
Fios sustentando tantas queixas


Na noite  o silêncio  são  as sombras
Nas  paredes riscando saudade viva
Perpetuando amenidades e  sobras
Feito poetisa que versos improvisa.


Meri Viero