terça-feira, 25 de agosto de 2015

BREVE FORMA DE AMAR


Acarinhe-me o olhar, a alma precisa voar,
Na eternidade da distância que protege;
Seres de asas leves, que só querem amar,
E a pena colorida, no desenho que elege...

Palavras tão ternas para ofertar, me leve,
Breve forma de amar, ser alado e amado;
Em ti, quero estar, alvura do floco de neve,
Que se estende na terra com um eldorado...

Um lugar para se chegar, sem rota, sem mapa,
Segredo confessado, pelo  coração  em alerta;
Ler livro, livre lenitivo, sem o julgar pela capa,
Se perder no carinho, no olhar que desconserta.

Meri Viero