domingo, 16 de agosto de 2015

A FORÇA DOS VERSOS

A força  dos versos, sem prazo de validade,
Por vezes  se escondem, outras se mostram;
E o sentimento é  misto de verdade, saudade;
Como a mais linda pérola, escondida na ostra.

São só  palavras, dirão. Não  são, não  vês?
É a  alma  vomitando os sonhos  que guardou,
Foram  de  noites  passadas, horas  de  sensatez,
Que o tempo calmamente desordenou, embaralhou.

E as cartas esparramadas na mesa, aleatórias,
Dispensaram palavras, apenas um jogo de olhares;
Falas que o tempo transformou em nossas histórias,
Que algumas vezes, criam asas, e saem aos pares.

Meri Viero