quinta-feira, 30 de julho de 2015

NÃO GOSTA DE MIM?

Madrugada que se finda, por que não gostaste de mim?
Deixaste-me desperta, entre tantos barulhos noturnos
Não tens dó de mim? Não percebeste o cansaço sem fim
Esse visível em meu corpo, mas foram pesadelos soturnos...

Com que embalastes meu sono, descanso não houve
Não houve silêncio, e meu drama orienta as queixas
E me deixam exausta, antes mesmo do dia começar, salve...
Esse resquício de hora, e assim adormecer ainda deixa

Essa simples mortal, apazigue os sentidos, acalme...
Segure o canto dos pássaros, o clarear de mais um dia
Que te desculparei por todos esses barulhos, salve...
O restinho dessa noite, salve minha inspiração e poesia.

Meri Viero