terça-feira, 2 de junho de 2015

VERSOS SEMPRE EXISTIRÃO

Quando a poesia acabar restará estrelas,
Que chorarão de saudade de um poetar;
No céu ainda haverá lua, musa amarela,
Linda e misteriosa para se contemplar...

E todas as estações continuarão passando,
Invernos, verões, outonos e primaveras;
Tudo certo no ciclo, abrindo e fechando,
Diversas cores pintadas a cada nova era...

Quando poesia acabar aqui, haverá alguém,
Por nome de poeta, e num sopro tão certo;
Soprará palavras aos corações que seguem,
Trazendo outra vez a poesia para perto...

Poeta não tem alforria, dá um tempo, apenas,
A poesia faz parte da alma, e não há escolha;
Plantamos palavras através de tantos temas,
Para que em algum momento amor se colha.

Meri Viero