terça-feira, 16 de junho de 2015

COMPOTA DE SONHOS

Doce, como gosto desse sabor  agradável,
O paladar agradece esse carinho ofertado;
A alma vira criança, versa leve, e inefável,
Inexplicável forma de sentir o adocicado.

Se pudesse misturaria tudo que mais gosto,

Poesias e doces, uma compota de sonhos;
Versos cobertos com creme, bem disposto,
Entre bombons de cereja, assim componho.

Me lambuzando de brigadeiro e dois amores,

Vou versando, entre aromas e texturas leves;
Unindo palavras, e tantos coloridos sabores,
Um dos sete pecados que a alma se atreve.

Meri Viero