segunda-feira, 4 de maio de 2015

UM DIA...

Pode ser hoje, amanhã ou depois,
Não só um poema sério, mas dois;
E as palavras, na distância segura,
Aproximam o coração que procura...

O verso bonito, que a alma escondeu,
Fonte tão límpida mas que não verteu;
Guardou como quem guarda  tesouro,
Poema abençoado, revestido de ouro...

Ofertado sem preço, por um coração,
Ah! Que não seja só essa imaginação;
Deitando esses versos, com emoção,
Pois assim passará a vida, sem solidão...

Um dia, seja hoje, quem sabe amanhã,
Como uma mensagem bonita sem spam;
Levará nos lábios o sorriso mais precioso,
Sincero, por ver o amor sendo vitorioso.

Meri Viero