sexta-feira, 15 de maio de 2015

SILÊNCIO SENTIDO

Vou sair por aí, caçando o silêncio
O meu, que preciso ter, e não acho
O teu, que devolve intenso e frio
O nosso que se enlaça num abraço

Talvez, tenha ido embora de vez
Buscando outros horizontes e vales
Repouse sutilmente em outra tez
Apaziguando outros tantos males

Não sei, preciso saber como achá-lo
Preciso dele, sem medo, suportá-lo
Silêncio tão sábio, devo assim amá-lo
Ou deixarei que me sorva, ao tragá-lo

Não o prenderei em jaulas visíveis
É impossível de se ver, mas sentido
Quando se faz em palavras inaudíveis
Que o tempo vai ecoando, repetindo...

Meri Viero