quarta-feira, 6 de maio de 2015

MEMÓRIAS

Na boca não há um cigarro
Nas mãos  não há  um copo
Nos lábios  um  batom caro
No dedo só um anel de coco

No papel de seda uma poesia
Na sala apenas  uns quadros
Nas folhas palavras arredias
No cômodo os  passos dados

Na boca um silêncio do vazio
Nas mãos o tremular da vida
Nos lábios um tremor de frio
No dedo o  apontar da ferida

No papel  sonhos  devolvidos
Na sala quieta alma solitária
Nas folhas  amores  tingidos
No cômodo  essas memórias.

Meri Viero