sexta-feira, 8 de maio de 2015

COISAS PRA SE GUARDAR...

Lembranças boas de uma terna infância,
Banho frio de cachoeira, amor de irmã;
Abraço de mãe, o aconchego de criança,
Beijo de pai, tão bom quanto sol da manhã...

O primeiro amor, o primeiro choro do filho,
Os primeiros passos, segurados pelas mãos;
Depois o andar sozinho, o andar nos trilhos,
E a certeza dos valores enraizados no coração...

Pétala de uma rosa, página de um livro, segredo,
Guardados dentro do peito, um medo sem jeito;
Uma poesia em noites de insônia, um novo enredo,
Um brilho no olhar, um rosto que se faz perfeito...

Conversas de um passado bem-vindo, vívido,
Congelados entre sorrisos, risos e pensamentos;
Tudo ainda tão bonito, tão forte e tão nítido,
Permanecendo entre lembranças e acabamentos...

Que a alma trata de colorir, cada vez que descora,
Foi pelo sol, pela chuva, ou por uma outra história;
Coisas pra se guardar em espaços sem solidão,
Sem paredes, nem fotos, mas somente no coração.

Meri Viero