terça-feira, 16 de dezembro de 2014

TUDO CERTO

Está tudo certo, parecendo errado...
O nó na garganta, o sapato furado,
A face abatida, o sorriso no quadro;
O mundo girando em um quadrado.

Dois corpos, e dois seres mudados,
O alimento na mesa e uns trocados;
A vida passando e o tempo parado,
Retalhos separados de um bordado.

Insônia e os  restos não sonhados,
A alma gritando em lábios calados;
Mãos apressadas e pés estaqueados,
A vida na tela no poema emoldurado.

Meri Viero