quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

LÁGRIMAS FRIAS


Vi quando todas as faces me olhavam,
E dentre elas apenas uma se destacava;
Enquanto outras choravam, ela olhava,
Serena, ofertava paz às que reclamavam.

Vi a tarde indo  em tão fúnebre silêncio,
E calou a poesia que revolvia em mim;
Enquanto as palavras viviam mais um cio,
Sapecas, riam dessa incumbência sem fim.

Vi quando a vida ofertou poema e não li,
E segui, fingindo indiferença, e chorei;
Enquanto os versos morriam logo ali,
Sozinha, essas lágrimas frias, derramei...

Meri Viero