sexta-feira, 28 de novembro de 2014

POR TUAS ASAS...

Que a saudade  não seja  tanta, seja santa,
Me incomode menos  e  te  incomode mais;
Que desperte os teus sentidos, me dê ouvido,
Desenha poesia, faz os sonhos virarem reais...

E que a chuva na  tarde seja leve, seja breve,
Molhe a terra seca, a grama, as flores no jardim;
Acordem os passarinhos, tão quietos nos ninhos,
Voem aos céus, cantem pra ti, também pra mim.

E o amor abençoado, seja inspiração, seja canção,
Toque a alma, transpire a poesia toda envolvente;
Amanheça ao teu lado, e se tentar fugir, faça fluir,
Os versos que distribuem as melhores sementes...

Meri Viero