quinta-feira, 2 de outubro de 2014

IDEIAS

Em transe se transa as ideias
Num trançado de sentidos
Profanos, puros ou subversivos
Pensamentos se encontram
Chocam-se, misturam-se
E quando férteis, fecundam
E num lugar incerto, nascem
Às vezes belas de alma e matéria
Às vezes de alma profana
Outras até diante do espelho, se quebram
Não pela falta de métrica, mas da alma
Que não está presente
Vazias, ocas, insanas seguem
Quando presente se derramam em beleza
Essência que perfuma por onde passam
Aromatiza, com doçura poetizam...
Até sobre a rigidez de uma pedra.

Meri Viero