terça-feira, 21 de outubro de 2014

PAZ E POESIA

Palavras se soltam das mãos,
Destino incerto, céu ou chão;
Asas libertas ou pés firmes,
Mas repletas de paz sublime.

Singela inspiração, desenham,
Na tela azul da poesia, reinam;
Misteriosas ou claras, ditadas,
Torneadas ou simples, poetadas.

Mas chamam a atenção, é poesia,
Contaminam a alma e o coração;
Bons fluidos que marcam o dia,
Trazem alegria, paz, como oração.

Meri Viero