quinta-feira, 18 de setembro de 2014

VERSOS CALMOS

No turbilhão das horas o tempo passou,
O que começou triste, agora adormece;
E o sofrimento em alegria  transformou,
Dor é palavra guardada, que se esquece.

Versos, por certo, tomaram chá de cidreira,
chá de camomila, flor de laranja, só natural;
Vinho verde saboroso e até chá de macieira,
Misturando tudo num paladar todo especial.

E nesse gosto as rimas se enroscam, nascem,
Vigorosas filhas,  de faces rosadas e infantis;
Poetam livres saciando a sede em seus cantis,
E que as inspirações, nossos braços, embalem.

Meri Viero