sábado, 20 de setembro de 2014

POEMA 91



E será que se a vida tivesse sido diferente, seria melhor?
E será que se fosse melhor, precisaria ser diferente?
E qual seria o pesar do momento, que lhe mostraria
aquilo que você não consegue ver?

E qual tempo cintilante, poderia responder
sobre as feridas que sente?
Não há futuro que cure o presente, não
há passado que condene o momento que vive.

Não há dor que seja tão forte, que não ensine
a recomeçar, do mesmo jeito que não
existe recomeço que não seja doloroso.

A vida está no doce embalo da canção dos quatro ventos,
nos pesares do pêndulo do relógio do destino
que firme bate a cada respiração que fazemos.

E cada hora que se passa, sempre será
o minuto que se perde para refazer, aquilo que nunca foi feito.
O mundo bate nos ponteiros da vida, e a vida somente
segue a cronologia do espaço que habita.

Em toda história, em todos os momentos
apenas o que nos sobra são as chances de viver
aquilo que ainda não foi vivido.


Autor: Giovanne Vicentim Bertotti.


Um jovem poeta talentoso, da cidade de Guarapuava.