quarta-feira, 24 de setembro de 2014

FLERTE AOS CORAÇÕES

Versos apressados, repletos de sentimentos,
Desfilam desarvorados, mas com todo sentido;
Camuflam-se entre tantos inteiros e metades,
Repelem maldades, e de verdade são revestidos.

E prosseguem, vivos, mas sem as provocações,
Buscam um direito de repartir a tal felicidade;
Entre ideologias, mas com palavra, sinceridade,
Ressoando bela, aqui e ali, flerte aos corações.

Aquietando a matéria mas também a expandindo,
Em poesias, rimas, inspirações que vão surgindo;
Sem vaidade, só por amor, sem refugar aquela dor,
Mas sendo invadido pela paz que segue sem rancor.

Meri Viero