segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ESPERANÇA


















A vida as vezes apronta...
E rima triste além da conta
Mas chega a hora do basta
Temporal devagar se afasta

Vem ofertando presentes...
Trazendo um sorriso contente
Uma poesia versando urgente
E feliz pode ser a vida da gente

Esperança, palavra bem-vinda...
Ressurgindo toda elegante na sala
E o pedido de socorro então se cala
Poesia outrora triste agora se finda.

Meri Viero