segunda-feira, 1 de setembro de 2014

COLORINDO OS VERSOS















Já vejo a colorida primavera e suas cores,
Chega dos dias frios, das manhãs geladas;
Chega do vazio, da solidão da madrugada,
Precioso é o perfume adocicado das flores.

A natureza que em festa impaciente brinca,
Os pássaros com belos cantos nos brindam;
E a semente curiosa e cansada da escuridão,
Se mostra toda prosa fecundando inspiração.

Oferta uma saborosa fruta, ou colorida flor,
E faz  a alma do poeta em paz se recompor;
Versando na manhã primaveril longe da dor,
Plantando palavras esperando colher o amor.

Meri Viero