terça-feira, 16 de setembro de 2014

AMOR NUNCA NEGARÁ AMAR

Por não ser amado, não negará o amor,
Que segue acabrunhado mas com valor;
Incansável sentir despido de esperança,
Chora em meus braços, feito uma criança...

Inconsolável, que já não quer mais brincar,

Perdeu a alegria de tudo, triste por esperar;
E canto uma canção para fazê-lo adormecer,
Adormece chorando, e sonhando ainda viver...

Um sentir tão bonito, que nasceu sem querer,

Floresceu antes da primavera, encantou o olhar;
Esqueceu de quase todo o resto, e só quis amar,
Contemplo-o em meu colo, no calmo adormecer...

Mas nada posso prometer, apenas colo ofertar,

Cada vez que for, e triste assim o ver retornar;
Serei paz que procura, inspiração que o faz voar,
Mas não posso prometer que um dia o irão amar.

Meri Viero